Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de junho de 2022

Jardinagem com Amor

Rosas Santa Terezinha - julho de 2024

A prática da jardinagem exige mais que tudo Amor naquilo que você está fazendo. É um trabalho de paciência e acompanhamento constante das atividades de um jardim, sejam elas no seu quintal ou em vasos. É uma atenção permanente e prazerosa. O jardineiro deve ser um trabalhador em busca de ampliar a perfeição da natureza que Deus nos ofereceu gratuitamente. Não podemos ter preguiça em começar e recomeçar qualquer atividade de jardinagem. Temos que estar sempre disponíveis para realizar alterações que venham a contribuir para o embelezamento do jardim. O jardineiro precisa ser um permanente pesquisador sobre os cuidados do seu jardim e um amante da natureza.

Os jardins são tão antigos quanto a própria vida das civilizações, pois os espaços naturais habitados pelos homens primitivos garantiam-lhes o “conforto” necessário para sua sobrevivência. À medida que se distanciavam das florestas que lhes serviam de berço, muitos elos naturais fundamentais para o equilíbrio da vida humana foram corrompidos pelo desenvolvimento técnico e econômico. Talvez, por isso, tenha ficado latente na humanidade, a necessidade e o sonho de resgatar o “paraíso perdido” para o progresso. E o resultado, a história vem registrando ao longo do tempo: a insistência da humanidade na elaboração de jardins cada vez mais belos e aconchegantes para devolver à mãe natureza tudo que dela foi tirado.


"Fico surpreso que ninguém tenha

descrito o jardineiro como poeta,

pois a formação de um jardim

oferece às musas a perfeita

oportunidade de criação."

Edgar Allan Poe, escritor

 
Capa do livro

https://drive.google.com/file/d/1aCHhe322S-qJUr2mkO_MPYURDAnzMjfw/view?usp=sharing

No link acima você tem acesso ao conteúdo completo do livro



Este livro é o resultado de nossa experiência na prática de jardinagem, de conhecimentos adquiridos com amigos, familiares e do Curso de Jardinagem que fiz no Instituto Universal Brasileiro.

Jardinagem é saúde física e mental

Jardinagem e estresse

A frase “Cultivar um jardim em casa tornou-se uma válvula de escape – o verde compensa o estresse do estilo de vida urbano.”, do paisagista Alex Hanazaki, é nosso motivo para desenvolver o tema Jardinagem e estresse.

O jardim caseiro propicia ao trabalhador(a) um tempo de atividades diferentes, criativas e de lazer no espaço aconchegante do lar. O(a) jardineiro(a) passa a freqüentar um ambiente calmo e natural, o que provoca uma sensação de paz e harmonia. Está no meio das cores das flores e do verde da paisagem que domina grande parte de um jardim.

O jardim oferece a quem participa efetivamente de sua elaboração uma variedade de atividades, pois o mesmo, é também espaço de trabalho, mas um fazer prazeroso e sem cobranças. Cada dia, a beleza do jardim, nos leva a um novo olhar sobre sua formação. É hora de dar uma limpeza em seu espaço. Capinar o mato que termina acumulando no terreno e nos vasos, podar galhos e folhas velhas, mudar o lugar de alguns vasos por questão de estética ou de desenvolvimento, aplicar fertilizantes e inseticidas, etc. Estas atividades terminam distraindo e ocupando o seu tempo de forma prazerosa e não como uma obrigação a ser cumprida. Suas preocupações cotidianas dão lugar à admiração de uma nova paisagem – a paisagem natural.

Nos dias atuais, a prática de alguma atividade que nos permita sair um pouco da roda viva do consumo e da agitação sem limites da sociedade capitalista, é uma necessidade para nossa sobrevivência com qualidade de vida. O sistema de produção capitalista globalizado do terceiro milênio deixa a maioria das pessoas sem opções de lazer, saúde e educação que atendam suas necessidades básicas.

Vivemos um tempo de intensa competição em todos os setores da sociedade, não só nas áreas tradicionalmente produtivas como a indústria e o comércio, mas também na educação, cultura, esportes, saúde e demais atividades sociais.

E para “amortecer” os efeitos desse tipo de sociedade, precisamos, com urgência, exercitar atividades “desestressantes” e prazerosas. E a jardinagem termina sendo mais uma alternativa de combate a uma depressão insustentável, aliada a outras atividades saudáveis como a leitura, e as atividades físicas e culturais. (A Arte da Jardinagem Caseira e Litorânea, p. 63-4)



Dicas importantes:


Ora-pro-nóbis com flores cor de rosa
 Ora-pro-nóbis .

A ora-pro-nóbis é uma planta trepadeira ou arbusto das regiões tropicais de qualidades comestíveis e ornamentais. O nome curioso vem do latim e significa “rogai por nós”. Diz a lenda que os moradores de um vilarejo colhiam as folhas da planta no quintal da igreja, enquanto se ouvia o padre rezar em latim: “ora-pro-nóbis”, daí o seu nome. É um tipo de cacto raro e floresce no verão e outono. Suas flores mais conhecidas são brancas ou levemente rosadas, dobradas, com o centro alaranjado e um característico perfume de limão. Mas existem também o ora-pro-nóbis de flor cor de rosa, o de folhas amarelas e o tradicional que não dá flores, apenas alguns frutos espinhentos e folhas comestíveis.

No paisagismo esta belíssima espécie pode ser conduzida como trepadeira, servindo para a cobertura de pergolados, caramanchões, ou acompanhando cercas, gradis e coroando muros. Pode também formar uma bela e resistente cerca-viva.

As flores e folhas da ora-pro-nóbis são comestíveis, nutritivas e ricas em proteínas e ferro, além de outros nutrientes importantes para a saúde humana. É inclusive chamada de “carne do pobre” devido ao seu alto teor de proteína como a carne bovina. Suas mudas são feitas por estacas em qualquer época do ano. Prefere áreas sem muito sol, não tolerando altas temperaturas ou frio intenso. Desenvolve bem ao lado de muros com boa sombra. 

Em Sabará (MG) acontece o Festival do Ora-pro-nóbis. É essencial em alguns pratos da culinária mineira.

Plantio em Vasos

Para o plantio de um vaso algumas regras são importantes, pois devemos criar nesse pequeno espaço um ambiente adequado para o desenvolvimento da planta. Primeiro você deve garantir uma boa drenagem para o escoamento da água depositada durante a rega, pois o acúmulo de água pode apodrecer as raízes da planta. Também a água não pode escoar com muita facilidade, pois assim, a planta não aproveita os nutrientes transportados por ela, pois logo a terra fica seca. A drenagem pode ser feita (e faço assim, é mais barato e funciona perfeitamente), com brita pequena de construção (aquelas pedrinhas utilizadas nas obras de construção civil). Coloque um pouco no fundo do vaso, podendo acrescentar areia para cobrir as pedras, especialmente no plantio de cactos e suculentas (auxilia na drenagem e evita que a terra atrapalhe a liberação da água), depois cubra a drenagem com terra de jardim misturada com terra vegetal (50% de cada parte). Logo após, pode colocar no vaso a planta que escolheu. Os vasos de plástico ainda são os melhores para se plantar, além do preço sair bem mais em conta. Quanto aos vasos de barro, é mito a ideia de que são os melhores, pois absorvem em excesso, a água das plantas em suas bordas. Agora é só regar a muda sem deixar encharcar, depois basta continuar com os cuidados básicos para mantê-la bem saudável!
                                      Veja o esquema da imagem do vaso abaixo:



Em cima (4), temos a muda com algumas pedrinhas para decoração e retenção de umidade; no meio (3), as raízes juntamente com a terra de plantio que é chamada de substrato (terra vegetal com terra de jardim); e embaixo (2) uma pequena tela que substituo pela areia; e (1) as pedras de drenagem (na foto utilizaram argila expandida, mas uso brita de construção).

Curiosidades sobre Plantas e Flores



Antúrio: É a flor em forma de coração. A sua cor vermelha em forma de coração não é por acaso. O antúrio está, de fato, sempre associado aos sentimentos mais elevados como o amor e a amizade. Segundo a lenda, na Grécia Antiga, as flores do Antúrio eram as flechas de Cupido, que era considerado o deus do amor, sendo que suas flechas poderiam fazer as pessoas se apaixonarem.

Arruda: A arruda, desde muito tempo, está ligada à magia e à religião, sendo utilizada em muitos rituais africanos. No começo da Era Cristã, foi considerada uma erva santa e seus ramos serviam para jogar água benta nos fiéis em missas solenes. Na Idade Média, era usada como proteção contra as chamadas “bruxas”, que de bruxas não tinham nada, mas eram, simplesmente, mulheres que tinham conhecimento de formas naturais de curas com plantas medicinais da época, e isso despertava a inveja, principalmente dos poucos médicos existentes, que faziam parte da classe dominante medieval, ligada ao clero católico. Acredita-se que os portugueses introduziram um hábito, muito usado no Brasil, de se colocar um raminho de arruda atrás da orelha para afastar o mau-olhado.

Manjericão: O manjericão é venerado como planta imbuída de essência divina, consagrada a Krishna e Vishnu, deuses hindus. Por isso, os indianos escolheram a planta para ser usada nos juramentos nos tribunais. Além disso, na Índia, o manjericão é colocado no peito dos mortos para servir de passaporte para o paraíso. Em Creta, a planta simboliza o amor banhado em lágrimas e, na Itália, é usada como prova de amor.

Cacto: O cacto é considerado por algumas correntes do Feng Shui (técnica oriental de harmonização de ambientes) como purificador de ambientes. Segundo os especialistas dessa técnica milenar, ele age como uma barreira para os raios eletromagnéticos emitidos por aparelhos de TV e computadores.

Rosa: Considerada um ícone do amor, ela foi retratada em trabalhos artísticos durante a Idade Média e tornou-se um símbolo do Cristianismo – uma imagem bastante disseminada é a da Virgem Maria entre as rosas.

Pequeno vocabulário de Jardinagem

Drenagem: prática realizada no plantio, seja em vasos ou no próprio terreno do jardim, para liberar a água que não mais vai ser aproveitada pelas plantas.

Fotossíntese: processo natural em que as plantas absorvem luz solar para produzir alimentos e liberar oxigênio das plantas. Processo de purificação do ar pela ação das plantas, transformando o gás carbônico (prejudicial a nossa saúde) em oxigênio bom para a respiração e a vida do homem. Por isso, é tão importante a preservação de nosso patrimônio vegetal.

Híbrido: processo de reprodução de plantas que resulta do cruzamento de dois indivíduos geneticamente diferentes. A maioria das rosas faz parte desse processo.

Macronutrientes: são os elementos químicos essenciais para o desenvolvimento das plantas. São eles: Nitrogênio, fósforo, magnésio, sódio, cloro, potássio, enxofre e cálcio.

Micronutrientes: são os elementos químicos que agem na formação de proteínas e da clorofila, no transporte de elementos vitais, na respiração e na fotossíntese das plantas. São eles: ferro, zinco, cobre, iodo, manganês, flúor e outros.

NPK (Nitrogênio, Fósforo, Potássio): São elementos químicos essenciais para o desenvolvimento das plantas, e em sua fórmula NPK 10 10 10, deve ser aplicado pelo menos duas vezes ao ano em todas as plantas. Esta fórmula significa 10% de cada elemento químico no produto. Veja suas funções:

Nitrogênio (N): O Nitrogênio estimula a brotação e atua na formação de folhas e caules.
Fósforo (P): O fósforo estimula a floração, frutificação e formação de sementes, também favorece o enraizamento das mudas.
Potássio (K): O potássio é indispensável para a perfeita estruturação celular das plantas, aumenta sua capacidade de resistir à seca prolongada e também as fortalece para que resistam melhor ao ataque de pragas e/ou doenças.

pH: É a quantidade de íons de hidrogênio presentes no solo, indicando sua taxa de acidez. O valor 7 corresponde ao pH neutro. Abaixo disso, é acido, acima é básico ou alcalino. Para a correção do solo ácido acrescente uma porção de calcário e para o solo alcalino aplique sulfato de amônio.

Solo ácido: O solo ácido costuma apresentar a superfície de cor escura e quando molhado forma poças lamacentas. Para identificar o solo ácido, além da coloração de sua superfície e análise em laboratório, observe a existência de sapé, samambaias e/ou taboa em sua vegetação.

Solo alcalino: O solo alcalino tem a superfície clara e esbranquiçada. É rico em nutrientes, mas costuma provocar ferrugens em algumas plantas. A existência de trevo em grande quantidade em sua vegetação, pode caracterizar o tipo desolo alcalino.

Solo neutro: É o solo ideal para todas as plantas e possui coloração e características intermediárias entre o solo ácido e o alcalino.

Terra vegetal: é o composto orgânico que mistura terra com vegetais e restos de animais decompostos. É rico em húmus (restos de matéria de origens vegetal e animal) e nutrientes,
mas pobre em fósforo.

Topiaria: É a arte de controlar o crescimento das plantas para lhes emprestar contornos esculturais das formas mais variadas, artísticas e criativas.


Acima o ora-pro-nóbis em cima do pergolado. Ele dá uma boa sombra para as plantas que estão embaixo, além da beleza de suas flores entre as folhas.

O pergolado embaixo - um espaço de beleza e criatividade


A arte da poda

A poda de árvores e plantas de um jardim, mesmo as de vasos, deve ser feita respeitando seu tempo de floração ou seu período de maior desenvolvimento, por exemplo, quando uma planta tem seu período de maior crescimento anual na estação da primavera, deve ser feita a poda no inverno. Plantas de inverno devem ser podadas no verão, o que não é o caso das plantas tropicais.

As rosas são plantas tropicais e devem ser podadas no inverno, e de forma radical, ou seja, cortam-se os galhos e o tronco deixando-os apenas a meio metro do chão. Não se preocupe, elas não morrerão, como muitos pensam, mas brotarão com folhas e flores rejuvenescidas e belas. Dependendo de seu crescimento pode-se fazer mais de uma poda por ano.

Todas as plantas do jardim necessitam de podas leves durante todo o ano, pois o jardineiro precisa retirar pequenos galhos e folhas secas ou debilitadas que prejudicam o seu desenvolvimento. Isso vai depender da atenta observação do jardineiro. Podemos fazer algumas podas para promover um determinado formato na estética da planta, a critério de quem cuida do jardim, por exemplo, transformar uma trepadeira em uma frondosa árvore, como as buganvílias.



Jardinagem na Praia
Suculentas no jardim (são resistentes ao clima da praia)
Para o turista, a praia é sempre um ambiente de paisagem natural e espontânea, mas isto não é totalmente verdadeiro. Existe sim, uma paisagem natural e espontânea nas áreas de praia, mas existem também jardins elaborados por seus moradores. E para isto existem algumas instruções básicas, tanto para seus moradores quanto para quem apenas faz passeios em  sua casa de praia e quer criar seu jardim; pois a praia é um espaço ambiental sujeito às adversidades climáticas comuns ao litoral, como altas temperaturas no verão, chuva, vento e maresia constantes, solo arenoso e com salinidade excessiva, além do frio durante o inverno. Portanto, estas condições não são tão favoráveis para a prática da jardinagem.

As características climáticas e físicas das áreas litorâneas devem ser levadas em consideração durante o planejamento do jardim, que também deve apresentar flores e/ou frutos no verão e também no inverno, pois sua beleza deve se manifestar durante todo o ano. Para que isto aconteça precisamos escolher as plantas que se adaptam ao tipo climático litorâneo, do contrário, teremos que refazer todo nosso planejamento todos os anos.

Uma característica muito importante do clima litorâneo é sua evaporação, pois, apesar de existir alta umidade do ar nestas regiões, existe também, uma rápida evaporação desta umidade, principalmente pela ação dos ventos, combinada com a presença do sol durante todo o ano no meio ambiente. Portanto, quando se planta em vasos, deve-se observar atentamente a evaporação da água regada no solo, realizando frequentemente sua reposição, se possível regar de dois em dois dias sem encharcar. As plantas, mesmo as litorâneas, não resistem a um intenso sol pleno do litoral, com exceção dos cactos.

A primeira fase do jardim na praia ou em qualquer outro lugar é a preparação adequada de seu solo. Na praia, por ser um solo muito arenoso, deve ser condicionado com terra mais argilosa e muita matéria orgânica, principalmente terra vegetal.

Os materiais utilizados no jardim devem ser de madeira para os suportes, e o plástico para o plantio em vaso; nunca utilize metais, mesmo os inoxidáveis. Uma dica importante na elaboração de um jardim à beira da praia é observar atentamente as plantas que ocorrem naturalmente no local, pois elas são adaptadas e em condições de suportar as adversidades. A partir daí, você pode acrescentar plantas novas, mas que se adaptam ao clima litorâneo. Há uma predominância do jardim tropical para as áreas litorâneas, pois suas plantas são as mais adaptadas às intempéries e combinam bastante com a paisagem da praia. Quanto à vegetação litorânea, predominam os cactos e as bromélias que são nativos do litoral. Os coqueiros, as palmeiras e as suculentas têm ótima adaptação ao litoral, além de outras plantas como as buganvíleas, o hibisco, a alamanda, a iuca e a ixora, entre outras. Cactos e bromélias são nativos do litoral. Quanto à grama, a esmeralda domina amplas áreas litorâneas, sendo nativas destas regiões, principalmente em Nova Viçosa (BA).

Ixora vermelha

Meu Jardim Lindo em Nova Viçosa – uma experiência única

Nasci em uma cidade continental em Minas Gerais, logo suas características físicas e climáticas são muito diferentes do litoral. Em 2017 mudamos, minha esposa e eu, para NovaViçosa, uma cidade litorânea.

Mesmo antes de nossa mudança já comecei a fazer algum plantio no terreno da casa que compramos, aliás, um terreno totalmente arenoso. As plantas sem nossa presença constante sentiram a falta de um atendimento mais de perto, portanto, seu desenvolvimento ficou limitado. Com nossa mudança passei a cuidar melhor do jardim; adubando a terra, limpando as áreas plantadas, acrescentando novas plantas ao quintal e vasos, etc. Hoje temos o nosso jardim com plantas tanto no quintal da casa quanto na área em frente ao muro da rua, pois o seu espaço permite quase a elaboração de um novo jardim. No início perdi muitas plantas, pois as mesmas não se adaptaram ao clima quente e úmido do litoral, mas com o tempo fui percebendo quais as plantas “gostavam” da paisagem litorânea, e hoje não vejo dificuldades em manter um jardim sempre belo todo o ano. Precisamos de paciência e Amor para desempenhar bem esta tarefa gratificante e bela que é a jardinagem.



Jardim e Horta
No jardim sempre reserve um espaço, mesmo que pequeno para a elaboração de uma horta, principalmente com temperos, pois estes, que geralmente têm cheiro forte, terminam expulsando insetos do jardim. O manjericão, a alfavaca, o alecrim rasteiro, a melissa e o capim-cidreira são excelentes para a saúde e possuem cheiros bons para o ser humano, mas que os insetos não gostam. Esses temperos são essenciais em qualquer jardim, mas você pode plantar também hortaliças e legumes.

Manjericão

Alfavaca
Taioba
Capim-cidreira
Melissa
Alegrim rasteiro

Poesias sobre Jardim

4o motivo da rosa

Não te aflijas com a pétala que voa:
Também é ser, deixar de ser assim.
Rosas verá, só de cinzas franzidas,
Mortas, intactas pelo seu jardim.
Eu deixo aroma até nos meus espinhos.
Ao longe, o vento vai falando de mim.
E por perder-me é que vão me lembrando,
Por desfolhar-me é que não tenho fim.

Cecília Meireles



Ninguém saberá
Do teu florescimento
Em meu peito
Do segredo
Deste jardim
Que cultivo
Em úmidas manhãs
Desta tua flor
Que trago
Em minha mãos cansadas
Dessa lavra em fértil terra
Onde a colheita
Nunca é certa
Posto que o plantio
Ainda que perfeito
Talvez tenha sido tardio...

Georgino Neto (Professor da Unimontes)


O ramalhete

Eu ando colhendo flores
Para a deusa dos amores,
Que além espera por mim.
Já tenho cravos cheirosos,
Não-me-deixes primorosos
E o branco e puro jasmim.

Tenho violetas dobradas,
Estas cravinas rajadas
E o fragrante mogorim:
Para ornar o ramalhete,
Tenho da sécia o alfinete
E um galhinho de alecrim.

Só a rosa aqui me falta,
Que só ela não esmalta
Esse tão lindo jardim!
Mas também para que rosas!
Se as tem nas faces mimosas
E em seus lábios de cetim!

Gonçalves de Magalhães


O ciúme das flores

As rosas não gostam das orquídeas
Pois são belas e desejadas
pelos jardineiros,
seus cuidadores.

O ciúme mata,
Como a inveja;
E assim acontece com as flores;
Talvez as rosas
Matem as orquídeas...

No meu jardim,
Pois gosto mais das rosas,
minhas preferidas.
                                                                             Beto Souto

Mudas de Rosas
Aprendi esta técnica consultando postagens na internet. Quando for plantar rosas no método de estacas (estaquia), coloque vários galhos na terra, de preferência terra vermelha ou amarelada, mas pode usar também apenas areia ou terra vegetal, ou misturadas. Escolha os galhos mais verdes e com uma grossura normal, ou seja, nem fino demais e nem grosso em excesso. Coloque vários galhos em um mesmo vaso, pois alguns podem não pegar - isto é normal. Regue no início de forma abundante e depois de 7 em 7 dias, pois a rosa não gosta muito de umidade. Para o replantio no solo (as rosas não desenvolvem bem em vasos), espere a planta enraizar bastante, e se possível deixar que deem flores antes, como quando vc compra na Floricultura, pois lá geralmente esperam dar flores até pra saber a cor da rosa. Depois de bem desenvolvidas, o que denota uma grande porcentagem de raízes, é só plantar no terreno e continuar com a mesma rega semanal. Vi uns cinco vídeos e fiz uma síntese das melhores ideias. Espero que dê certo com vc. Abaixo um vaso com as mudas com folhas, mas ainda tem pouco tempo de plantio, o que certamente revela que não tem um enraizamento adequado. Vc também pode observar o enraizamento desenvolvido através da saída de raízes pelos furos da drenagem, ou plantar em um vaso transparente. Pelos vídeos, todos que explicam o processo nunca aceitam que o enraizamento está bom antes de dois meses de plantados. Já fiz o replantio antes e perdi todas as mudas já com folhas. O método acima é o mais simples, mas os resultados são bem limitados. E descobri, pela experiência, que nenhum método é infalível, pois exige persistência em sua produção/reprodução.



Mudas de rosas com batatas (inglesa ou doce)

É assim que se faz (também)

Escolha uma rosa que você goste, remova todas as folhas e corte diagonalmente a cabeça da rosa (aproximadamente a 3 centímetros da flor). Não precisa ser um galho grande, pode ser pequeno mesmo. Pode usar uma parte de uma garrafa pet, ou um vaso, se usar um vaso coloque a outra arte da garrafa na terra como estufa (veja a imagem abaixo). 

Pegue a batata e faça um buraco da largura do caule; certifique-se de que o caule não oscile dentro do buraco. Cubra o fundo do recipiente com 5 centímetros de terra e coloque a batata por cima. Encha o resto do recipiente com terra para vasos. Corte a garrafa de plástico ao meio (uma parte para o plantio e a outra para fazer uma espécie de estufa em cima do vaso. Ocasionalmente, regue a rosa e observe como suas rosas crescem como nunca antes! A estufa é para a proteção contra uma mudança radical do clima, por exemplo, um excesso de calor, frio ou vento). A função da batata é oferecer nutrientes para a muda como potássio, cálcio e outros).




Pergolado em novembro de 2022

Rosa do Deserto em novembro de 2022
Dedinho de anjo em novembro de 2022

Rosas no pergolado - fevereiro de 2023
Livro O Menino do Dedo Verde
Homenagem ao livro

Abril é o mês das flores,
E a Primavera sua estação.


Primeira flor do ora-pro-nóbis -20.04.23 - chegada da Tauane


Tipos de Ipês

A típica árvore de Ipê é a denominação de uma grande variedade de espécies do gênero Tabebuia e Handroanthus, sinônimos e ambos da família Bignoniaceae. É muito conhecido por sua beleza, exuberância das flores e ampla distribuição em todas as regiões do Brasil. Os ipês são caducifólias, ou seja, perdem todas as folhas que são substituídas por cachos de flores de cores intensas. São árvores de grande porte que gostam de calor e sol pleno.

Atualmente, o pau-Brasil é a árvore nacional e o Ipê é considerado a flor nacional. Suas flores possuem forma de funil, como se fossem uma cornetinha, podem ser elas amarelas, roxas, rosas, brancas e até verdes. Floresce entre junho e novembro, começando pela cor roxa e rosa, depois o amarelo e por último o branco. Elas caem no decorrer de uma semana, cobrindo o chão com a sua cor.

O nome ipê origina-se da língua indígena tupi e significa casca dura. O mesmo também é conhecido como pau d’arco, porque antigamente os índios utilizavam a madeira dessas árvores para fazerem os seus arcos de caça e defesa. Ou seja, há muito tempo o ipê é utilizado como matéria-prima em razão da boa qualidade da madeira, tendo como características principais:

  • Muito densa e forte;
  • Pesada e dura, difícil de serrar;
  • Grande durabilidade mesmo quando em condições favoráveis ao apodrecimento;
  • Alta resistência aos parasitas e à umidade;

Considerado uma madeira nobre, o Ipê possui um material excelente para estrutura de obras, em ambientes externos e até mesmo em detalhes decorativos. Pode ser usado também em construções de pontes, vigas, esquadrias, pisos, escadas, móveis, peças, na fabricação de instrumentos musicais, de portas e janelas, dentre muitas outras finalidades.

Para maior conhecimento, seguem mais detalhes sobre as espécies mais comuns de ipês aqui no Brasil:

IPE AMARELO

 

Ipê Amarelo – Handroanthus ochraceus ou Tabebuia ochracea

Espécie comum na região centro-oeste, sudeste e sul do Brasil, sua árvore pode alcançar de 6 até 14 metros de altura e tronco de 30 a 50 cm. Suas flores são amarelas e costumam florescer a partir do final de julho até setembro. Sua florada é exuberante e fantástica, muito utilizada no paisagismo, podendo ser considerada uma das mais belas dentre as espécies de ipês.

 

Ipê Amarelo da Serra – Handroanthus albus ou Tabebuia alba

Esta espécie costuma ter um porte maior, podendo alcançar de 20 a 30 metros de altura, e o tronco de 40 a 60 cm, ela é mais comum apenas nas regiões sudeste e sul. Suas flores são amarelas e também florescem de julho a setembro. A árvore é extremamente ornamental, tanto por sua florada como por sua folhagem prateada quando recém-brotada. Esta espécie só ocorre acima de 1.000 m de altitude.

Ipê Amarelo do Cerrado – Tabebuia aurea ou Handroanthus caraiba

Comum da região amazônica e nordeste até o sudeste, frequente no cerrado, na caatinga e no pantanal mato-grossense. Sua altura é de 12 a 20 metros e seu tronco é tortuoso com diâmetro de 30 a 40 cm, com casca suberosa. Floresce durante os meses de agosto a setembro apenas. Possui uso comum tanto para arborização de ruas e avenidas, quanto no paisagismo em geral.

 

Ipê Branco – Handroanthus roseoalba ou Tabebuia roseoalba IPE BRANCO

Esta árvore possui em média de 7 a 16 metros de altura e seu tronco de 40 a 50 cm de diâmetro, é raramente encontrada na caatinga do nordeste brasileiro, mas muito comum no sudeste e centro-oeste. Possui flores brancas, podendo ser encontradas até em tons rosados, floresce de agosto a outubro. Esta espécie se adapta bem a terrenos secos e pedregosos, também é excelente para o paisagismo em geral.

 

IPE ROSA

 

Ipê Rosa – Tabebuia avellanedae ou Handroanthus avellanedae

Ocorre com mais frequência no Sul do país, desde o Mato Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul. Pode alcançar de 20 até 35 metros de altura, com tronco ereto e cilíndrico de 60 a 80 cm de diâmetro. Suas flores possuem tons de rosa e roxo, floresce de junho a agosto. É a espécie de ipê mais comum no paisagismo do sul do Brasil, quando em flor é uma árvore muito bela, um grande espetáculo da natureza.

 

Ipê Roxo ou Ipê Roxo Sete Folhas – Handroanthus heptaphyllus ou Tabebuia heptaphylla IPE ROXO

Possui altura média de 10 a 20 metros e corre principalmente no nordeste e sudeste do país, seu tronco tem de 40 a 80 cm de diâmetro e é revestido por casca áspera cinzenta. Suas flores são roxas e aparecem durante julho até setembro. É uma das espécies mais populares no paisagismo brasileiro, por sua beleza quando em floração, também muito utilizada na arborização de ruas e avenidas, além de reflorestamentos.

Propriedades medicinais: Em pesquisa, cientistas americanos descobriram que alguma substância composta na casca do ipê-roxo tem potencial para matar um certo tipo de célula cancerígena de pulmão. Ainda não foi divulgado qual a espécie de ipê roxo.

Ipê Roxo de Bola – Handroanthus Impetiginosus ou Tabebuia impetiginosa

Esta espécie também é mais comum nas regiões do nordeste e sudeste do Brasil, sua altura é entre 8 a 12 metros e seu tronco pode chegar até 90 cm de diâmetro. Sua flores também são roxas, porém a floração acontece durante o mês de maio até agosto. É uma árvore muito admirada para arborização e paisagismos. 


Floração do ora-pro-nóbis - 20/21/abril e 1º de maio de 2023



















Nunca plante o ora-pro-nóbis amarelo junto com o verde de flores brancas, pois este abafa o amarelo, por isso, o amarelo passa a não dar suas flores lindas.

Ora-pro-nóbis, tuas flores

Enfeitam o meu jardim.

Teu perfume, me contagia.

Tuas folhas alimentam o meu corpo,

Teus espinhos são proteção de tua beleza.

E as abelhas oportunas

São visitas bem-vindas.

                    04.05.23




Primeiras flores do Ipê amarelo - 04.05.23









Terceira floração do ora-pro-nóbis - 09.05.23 - Geralmente só ocorre uma por ano (entre março e abril)

Rosa do deserto branca - maio de 2023
Flor roxa - herança do Bairro Santa Terezinha em Cel. Fabriciano - MAIO/23


Quarta floração do ora-pro-nóbis - 31 de maio de 2023 - Uma raridade, pois geralmente só ocorre uma floração entre março e abril.





Bela árvore florida nativa de Nova Viçosa. Reproduzi colhendo suas sementes - junho de 2023







Quinta floração do ora-pro-nóbis em junho de 2023



Tuia compacta - junho de 2023

Flores do Véu de Noiva - julho de 2023


Primeira floração do ipê amarelo - agosto de 2023

Zamioculca Black - setembro de 2023
Flambonhãzinho amarelo - setembro 23
Ipê amarelo em setembro 2023


Ipê amarelo com um passarinho verde - 7 de setembro de 2023 - Homenagem da natureza a nossa Independência



Ipê amarelo - setembro de 2023


Rosa Santa Terezinha - 17 de setembro de 2023




Trabalho em madeira representando uma rosa e a cauda da baleia jubarte
Trabalhos em madeira para abrigar pequenos vasos
Nome popular rabo de tatu
Alamanda amarela e lilás


Flambonhazinho alaranjado


Hibisco vermelho

Presente da Lorena - outubro de 2023

Presente da Bárbara - outubro de 2023
Símbolos do autor e da cidade de Nova Viçosa
Buganvília branca - outubro de 2023

Primeira floração do Ipê branco - novembro de 2023
Buganvília lilás - novembro de 2023

Segunda floração do ipê branco - 27.11.23.
Flores da Alamanda - 27.11.23

Flores do Jasmim - 27.11.23
Flor peluda do cacto - 27.11.23

Lembretes:
Nunca plante grama esmeralda na sombra, a melhor opção é a grama amendoim.



Terceira floração do ipê branco - 29.11.23
Quarta floração do ipê branco - 01.12.23
Floração do ipê amarelo em 01.12.23 - uma surpresa boa

Buganvília lilás - 01.12.23
Decoração do pergolado - 30.11.23 - Branca de neve e os sete anões

Queda das folhas do ipê roxo - 04 de dezembro/23

Ipê Roxo com folhas novas - 09.12.23

Muda do Pau-Brasil legítimo - 04.12.23

Plantio do Pau-Brasil legítimo - 07.12.23




Plantio da grama amendoim - 11.12.23


Primeira flor da grama amendoim- 19.01.24



Flor da grama amendoim - 1° de fevereiro de 2024

Rosa do deserto- fev/24
Brasileirinho - fev/24
Pau-brasil - fev/24
Jasmim cheiroso - fev/24
Alamanda - fev/24
Tuia compacta - fev/24
Jasmim sem perfume - fev/24

Rosa bebê- fev/24


Primeiros brotos da quaresmeira - 10 de f24


Pau-Brasil - fevereiro de 2024
Jasmim cheiroso - fevereiro de 2024

Brotos explodindo em flor da quaresmeira - 04.03.24

Primeira flor da quaresmeira - 05.03.24

Quaresmeira florida - 20 de março de 2024


Pergolado podado para dar lugar ao ora-pro-nóbis sem espinhos - março 24






Visão geral do jardim - março 24
Grama amendoim desenvolvida e florida - 21.03.24

Acácia cor de rosa - presente da amiga Val - 21.03.24
Buganvília vermelha - plantada em março/24
Ipê amarelo plantado em 20.03.24

Placa feita em entalhe em madeira - 2024

Ipê amarelo - abril/24

Pau-Brasil - abril/24


Placas no Pergolado - março/24

Na espirradeira - 25.03.24
Catarine e Sueli - março/24

Sueli na quaresmeira florida - 29.03.24



Mini-rosas - 29.03.24

Acácia rosa - abril/24

Sibipiruna - maio de 2024


Pergolado - junho/24

Rosa do deserto  - junho/24
Palmeira Ráfia - junho/24



Primeira floração do ipê amarelo - 09.06.24

Pesão com mudas da grama Batatais - junho de 2024


Rosas Bebê - junho de 2024


Buganvília vermelha - junho de 2024
Cacto Rosa - junho de 2024

Rosas Bebê ou Santa Terezinha - julho de 2024



As orientações para plantio exigem algumas atitudes que podem ser mudadas, pois existem muitas exigências para as empresas hoje. Por exemplo, não precisa deixar tanto tempo no vaso sem plantio no terreno, três dias são suficientes. Quanto às estações de plantio, podem ser plantadas durante todo o ano, com exceção de maio e junho por causa do frio. Não precisa de dois metros cúbicos para o plantio. Faça um buraco com espaço para a planta não ficar abafada nas bordas, isto é suficiente. Experiência de jardineiro.



Águas de Março - 12.03.23




 






Postagens em destaque

Jardinagem com Amor

Rosas Santa Terezinha - julho de 2024 A prática da jardinagem exige mais que tudo Amor naquilo que você está fazendo. É um trabalho de pac...